: Ремонт ноутбуков hp pavilion. Ремонт ноутбуков hp своими руками. Ремонт клавиатуры ноутбука hp. Сервисный центр samsung ремонт планшетов. Быстрый ремонт планшетов samsung. Ремонт планшетов samsung galaxy tab. Штукатурка стен своими руками. Качественная венецианская штукатурка своими руками. Наружная штукатурка своими руками.
Смартфон samsung galaxy отзывы. Хороший обзор смартфонов samsung galaxy. Смартфон samsung galaxy ace 2. Горнолыжные курорты италии отзывы. Лучшие горнолыжные курорты италии. Горнолыжные курорты италии фото. Лазерная коррекция зрения. Качественная коррекция зрения стоимость. Операция по коррекции зрения. Язык программирования python. Учим python быстро. Весь язык python с нуля. Лечение сетчатки глаза. Нервный тик глаза лечение. Болезни глаз лечение.



Sete em cada dez pessoas no mundo professam uma religião

Al Furqán

Uma pesquisa realizada pela Ipsos MORI, realizada com 18.473 pessoas de 24 países, revela as nuances de crenças religiosas actuais

Internacional - 09/07/2011: um estudo realizado pela Ipsos MORI, empresa número um de pesquisa do Reino Unido, revelou que sobre sete em cada dez pessoas no mundo pertencem a uma religião e a maioria dos habitantes do nosso planeta vê a religião como algo importante na sua vida.

A pesquisa da Ipsos MORI também revela que há acentuadas diferenças quanto a isso. Assim, 94% das pessoas religiosas dos países predominantemente muçulmanos apontou que a religião é importante nas suas vidas. Os países muçulmanos pesquisados foram a Arábia Sal-dita, Turquia e Indonésia.

Em comparação com, apenas 66 por cento das pessoas em países predominantemente cristãos - 19 Nações no total - note-se o que publica Ipsos MORI num comunicado:

A crença numa única fé verdadeira: Nos Estados Unidos, por sua vez, dentro dos 65 por cento dos inquiridos que se autodefiniram como "Cristãos", 86% disseram que a sua fé foi importante nas suas vidas, enquanto que entre os cristãos da França e da Suécia, esta percentagem foi entre 36 e 42%. Em Espanha, a percentagem a este respeito foi de 44%.

Além dos países acima mencionados, outras nações estudadas foram as seguintes: Brasil, África do Sul, Índia, México, Itália, Polónia, Coreia do Sul, Argentina, Austrália, Canadá, China, Rússia, Grã-Bretanha, Hungria, Japão, Bélgica e Alemanha.

Os resultados desta pesquisa, que abrangeu, portanto, um total de 24 países e 18.473 adultos com idades compreendidos entre 16 e 64 anos, também indicam que entre os jovens, a religião também desempenha um papel importante nas suas vidas: quase três quartos dos inquiridos (73 por cento) abaixo dos 35 anoas, declarou que a sua religião ou a sua fé é a chave para a vida deles.

Por outro lado, as pessoas que vivem em países principalmente muçulmanos (61%) são mais propensas, do que as que vivem em principalmente países cristãos (19 por cento), a acreditar que a sua fé é o único verdadeiro caminho para a salvação, libertação ou paraíso.

O anexo a esta crença é diferente entre os países, com uma pequena minoria que detém na Europa Ocidental e uma grande maioria que mantém em países muçulmanos pesquisados.

Atenção para aqueles que precisam

Por outro lado, pessoas religiosas dos países predominantemente muçulmanos acreditam mais do que indivíduos de países cristãos que a sua religião é uma fonte de motivação para a dedicação de tempo e dinheiro para as pessoas necessitadas (61% no caso das nações muçulmanas, em comparação com 24 por cento nas sociedades predominantemente cristãs).

Em termos gerais, três de cada dez pessoas (30%) com uma religião ou fé afirmou que a religião os motiva para servir os necessitados. Mas cerca de metade dos entrevistados (52%), declarou que não havia nenhuma diferença no que a isto diz respeito, uma vez que eles sentem que ajudar os outros é necessário em qualquer caso.

Em outra direcção e, falando em geral, um terço dos participantes (33%) de todos os países pesquisados declararam não ter amigos ou ter poucos amigos que professassem outra religião que não a deles. Este ponto varia muito, dependendo do país e parece não estar relacionado com a crença do povo que a sua própria religião é a única verdadeira, diz o estudo.

Alguns criacionistas: No mês de Abril, a Ipsos MORI tornou públicos os resultados de outra pesquisa, neste caso a fé em Deus ou num Ser Supremo, bem como a crença em algum tipo de vida após a morte.

De acordo com a agência Reuters, em seguida publicado, os resultados do presente inquérito revelam que ambas as crenças permanecem fortes na maioria dos países do mundo.

Assim, 51% das 18.829 pessoas de 23 países pesquisados disse estar convencido da existência de uma vida após a morte e da existência de uma entidade divina, enquanto 18% disseram que não acreditam em nada disso e 17% disseram que não sabiam.

No entanto, a pesquisa também revelou que apenas 28 % desses questionados acreditavam no criacionismo (a terra e cada ser vivo que existe actualmente vem de um acto de criação de um ou mais seres divinos), contra 41% que acreditam na evolução humana e 31%, simplesmente não sabiam no que acreditam.

Por países, aqueles em que as pessoas mostraram mais propícias a acreditar no criacionismo foram África do Sul, Estados Unidos, Indonésia, Coreia do Sul e Brasil.

Outras crenças: Enquanto Indonésia, Turquia e Brasil foram revelados como os países com a maior proporção de pessoas com uma definitiva crença num Deus ou num Ser Supremo, na Índia, China e Rússia, por outro lado, 24, 14 e 10% dos entrevistados, respectivamente, eram mais favoráveis à crença em vários deuses.

No outro extremo do espectro, a maior percentagem de indivíduos que afirmou não acreditar em Deus ou num ser supremo, quase 40% dos inquiridos ocorreu na França, Suécia, Bélgica e Grã-Bretanha.

A pesquisa também analisou as percentagens de pessoas que acreditavam na reencarnação (crença em uma única essência de pessoas - ser/mente, alma, consciência ou energia - adopta um corpo material não só uma vez, mas várias). A tendência para acreditar neste conceito foi especialmente forte na Hungria, com 13% dos entrevistados. A este respeito, Coreia do Sul e Espanha foram os países em que os participantes afirmaram que eles acreditavam que na morte "simplesmente deixa de se existir".

De acordo com os autores deste estudo, a natureza destas questões é em grande parte desconhecida, mas o facto é que elas permanecem em muitos dos habitantes do nosso planeta.


Os livros mais vendidos online




Created & Design by MaiLayout